Wednesday, June 23, 2010

#343

(image by Altingfest)


Eu me costuro poema
a partir dos trapos
de memórias

e segredos
que cobrem
minhas janelas.

Você se faz luz

e me invade.


I quilt poems
of myself
from the rags
of secrets
and
old memories
covering my windows.

You're light
peeking into me.

28 comments:

  1. O que eu fico pensando é como você costura a partir dos trapos, de memórias e segredos que cobrem as 'suas' janelas e consegue traduzir o que nós muitas vezes nem conseguimos perceber que sentíamos aqui distantes...
    Beijos!

    ReplyDelete
  2. LIndo Kenia!
    Gosto da meneira que vc diz as coisas :)
    bjs
    Gi

    ReplyDelete
  3. And what a pleasure it is, to have these occasional peeks into Kenia.

    ReplyDelete
  4. E diga-se de passagem muito bem costurados. very good

    ReplyDelete
  5. Muito bonito!

    Adoro teu jeito de escrever, querida.

    Um bjo!

    Talita.

    ReplyDelete
  6. não conhecia este teu espaço. lindo, é o mínimo que se pode dizer. as ilustrações, os poemas, tu mesma, kenia.
    um beijo e obrigado pela visita ao viagens de luz e sombra!

    ReplyDelete
  7. It’s wonderful to read another of your fantastic poems, I hope you are full recovered from your illness now Kenia and are well I just want to say your poetry has always brought a smile to my face, keep the grand prose coming.

    ReplyDelete
  8. Lindo...

    Teceu belas palavras em versos

    beijos

    ReplyDelete
  9. permita-me invadi-la, por favor *---*
    Beeijos ♥

    ReplyDelete
  10. Que lindo suas poesias, todas, as tortas e as retas...bj*

    ReplyDelete
  11. Oi Cris,

    " Eu me costuro poema " Linda imagem poética Cris... É sempre muito bom passar por aqui e apreciar seus encantadores versos... Bj com carinho.

    ReplyDelete
  12. A cada isso aqui fica melhor...não sei onde pode parar...
    Na perfeição, talvez?
    Abraço!

    ReplyDelete
  13. A gente tá lá, alinhavando tudo certinho, quietinha, mas sempre vem alguém para descosturar tudo, rs.

    Beijo.

    ReplyDelete
  14. Que lindo Kênia!
    Vc escreve de uma meneira tão delicada... é muito bom ler suas linhas!
    Abraços,
    Michelle

    ReplyDelete
  15. A sua amiga Lara tem razão: sempre vem alguém descosturar tudo.
    Quando a gente quer que descosturem, não vem ninguém.
    Quando a gente quer justamente o contrário, que fique tudo muito bem costurado e quieto em seu canto, aparece alguém para lhe dizer que não é bem assim que se costura...

    ReplyDelete
  16. Costurar poemas a partir dos trapos de memórias e segredos é a essência da poesia :)
    Adorei!
    Beijos.

    ReplyDelete
  17. A poesia viva e sua serena expectativa. Tomar a forma de esperança! bjs moça.

    ReplyDelete
  18. Nice poetry. Yeah,every poetry is some kind of memoir extracted from heart,and its up for every other to peep in.

    ReplyDelete
  19. Deixa invadir, deixa... :)

    Bonito demais, Kenia!

    Um beijo enorme pra você

    ReplyDelete
  20. Eu me costuro poema foi o que me conquistou!
    Como posso ficar indiferente a força e leveza da sua poesia?!
    Sempre bom vir aqui no meu espaço!
    ;D

    ReplyDelete
  21. É uma roca que não para de girar...

    Oops! Espeta!

    Boa noite, a qualquer luz do dia.

    ReplyDelete
  22. Kênia, que lindo!!!

    esse poema invadiu minhas janelas, adentrou apesar das vidraças.

    eu achei maravilhoso,mesmo!

    beijos

    ReplyDelete
  23. I'm sorry I have been gone for so long my friend, but I am back. And I love this so very much! =]

    ReplyDelete
  24. e eu figo sempre que os poemas são pintados e costurados, é um processo todo artesanal e artístico

    ReplyDelete
  25. This is beautiful. It's poems like these of yours that make me want to speak/read Portuguese because I imagine it to be even more beautiful.

    ReplyDelete

Deixe suas linhas tortas │Leave your crooked lines│